Santa Carona

“É possível ser casto no século XXI ?”

Esse título foi me dado para ser abordado em uma palestra em um grupo de jovens aqui da minha cidade. Achei esse tema tão interessante e atual e quero abrangê-lo aqui na coluna também.

Bom, eu não diria que é possível, mas sim que é PRECISO ser casto no século XXI, e não só neste , mas em todos os séculos, anos, meses e dias. Pois Jesus disse “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!”. Se queremos ganhar o céu sejamos então puros todos os dias, se quereis o céu, a pureza não é uma possibilidade e sim uma obrigação.

A verdade é que todos querem o céu, mas não querem se esforçar por ele. Isso não é uma “teoria da conspiração”, mas um fato, vivemos em um mundo individualista, que deseja satisfazer suas vontades e não a  Vontade de Deus. Vemos isso o tempo todo, pessoas que se dizem castas, mas não vivem a castidade, pessoas que se dizem católicas e estão longe do catolicismo, pessoas que dizem amar a Deus e escutam blasfêmias contra Ele, calados.

No princípio não era assim, nós éramos puros e por isso obedientes a Deus. Mas o pecado entrou no mundo e hoje ser casto depende de lutarmos ou não. A castidade não é uma virtude fácil de ser alcançada, mas é preciso persistência, é preciso querê-la.

Desejar ser casto é um desejo de qualquer coração, pois Deus nos criou puros, tanto é que podemos perceber que o contato com o puro nos traz paz, enquanto que quando pecamos contra a pureza, sentimo-nos tristes, vemos que algo está errado. Percebe-se assim que a pureza nos aproxima de Deus, logo,  a castidade é para aqueles que buscam ardentemente estar com Ele. Entretanto como já disse o mundo tende a dizer não a essa aproximação, pois é grande a diferença entre o desejar e o viver.

Viver a castidade no século XXI é remar contra a maré. A mídia, os filmes, os livros, enfim, tudo, fala que ser casto é ser retrógrado, antiquado,careta. E muitos jovens acabam convencidos que não vale a pena ser casto, pois não querem atravessar a correnteza, não querem lutar. Dessa maneira, vemos uma juventude carente e sem amor.

É normal “ficar”, é normal fazer sexo com o namorado (a), é normal vestir roupas curtas e sensuais, somos livres e fazemos o que quisermos! É isso o que eles dizem. Tanta “liberdade” ao preço de suas almas e infelicidade. A luxúria não faz bem, ela engana e no fim das contas o ser humano passa a ser objeto, pois esse comportamento não mostra se não isso. Enquanto que a castidade te traz a verdadeira liberdade, pois não é você o dono da sua vontade e sim, Deus.

A castidade faz o homem vivenciar o amor, o amor verdadeiro, porque quem é casto vive primeiramente o amor com Deus e sendo totalmente preenchido por esse amor, não necessita de nenhum um outro para ser feliz, como dizia Santa Teresa d’Ávila ” A quem tem Deus, nada falta. Só Deus basta” e ainda Santa Teresinha do Menino Jesus “Percebi que a única coisa   necessária era unir-me mais a Jesus, o resto me seria dado de acréscimo.” Os outros amores são acréscimos.

Para pessoas que não vivem a castidade o amor dos outros nunca é suficiente, querem cada vez mais,buscam o prazer acima de tudo, são carentes de afeto e saem publicando fotos só para ganhar curtidas nas redes sociais, como se isso fosse receber amor. Vazias, procuram incessantemente algo que vai preencher o coração delas, mas esse vazio só será preenchido de fato, quando se decidirem pela castidade.

Muitos podem ler esse texto e achar que isso tudo é uma mentira e não se importar com o assunto, mas eu te digo, olha para sua vida, veja o que realmente te traz paz, será que você realmente tem amor? será que você ama? Será que a pureza realmente está ultrapassada? Olhe bem no fundo e você, se tiver apreço pela verdade, verá que o nosso agir, que a sociedade em que estamos vivendo, não está em paz, pois a pureza não reina. Sem ela, os outros pecados nos parecem bons, e vamos só pecando, pois é a pureza que faz ver de fato o que é e como são as coisas.

 Percebe-se então que a castidade se faz necessária para aqueles que buscam o céu. Assim devemos sempre lembrar que nosso corpo é Templo do Espírito Santo e fazer como São Josemaria diz “Temos de ser o mais limpo que pudermos, com respeito pelo corpo”. Dessa forma, lutando diariamente para sermos castos chegaremos um dia a ver Deus face a face. que Nossa Senhora Mãe Puríssima nos ajude a sermos castos.

Sílvia Maria

Mulher menina, estudante de química, fãzona de Santa Teresinha