Santa Carona

A fonte da juventude

Foto

A ideia duma fonte de onde brotassem águas límpidas e frescas- e que devolve a juventude aos que dela bebessem- permeia o imaginário de várias culturas e épocas ao longo da história. Podemos encontrar registros de um rio da imortalidade na mitologia grega ou do poço da juventude em lendas hindus. Há relatos de reis e rainhas que financiaram expedições à procura do manancial, e outros que foram pessoalmente, como Alexandre, o grande, ou o explorador Ponce de León.

Nenhuma das personalidades citadas acima conseguiu encontrá-la (existem boatos, mas nada comprovado). Alguns acreditam que tal nascente se encontra nas Américas, ao lado do jardim do Éden, como consta em alguns textos medievais. Mas eu acredito que não é preciso ir tão longe para alcançá-la.

Na verdade ela está bem debaixo do nosso nariz, ao alcance de qualquer um que tenha boa vontade e um coração puro. Não estou falando de fazer dietas milagrosas e intermináveis, nem de tomar sucos verdes sem agrotóxicos, nem de ir à academia ou coisa do tipo. Estou falando de um segredo que São João descobriu ao recostar a cabeça no peito de Jesus.

Já falei sobre essa cena aqui antes, mas eu não me canso de imaginar o quão sublime deve ter sido este momento. Ali, sentados, naquele clima de despedidas, leve e tenso ao mesmo tempo, João recosta a cabeça em seu mestre, simultaneamente consolando e sendo consolado por ele. Então, ele ouve aquele coração tão cheio de amor bater. Aquele coração que é a fonte da misericórdia, de onde jorrou sangue e água para nos salvar.

É ele que cumula de benefícios a tua vida, e renova a tua juventude como a da águia. (Salmos 102, 5) Naquele momento, João descobriu a fonte da juventude, tão almejada pelos homens ao longo da história. Depois disso, nunca mais foi o mesmo. Seu coração manteve o mesmo frescor da juventude, quando encontrara o amor de sua vida e se descobrira igualmente amado. Isso se torna evidente ao lermos o seu evangelho, tão cheio de vida. Imagino-o contando dos momentos que passa ao lado de Jesus, já velhinho, a um grupo de pessoas. O olhar distante, mas o coração como que parado no tempo.

Mas, lembra-te de teu Criador nos dias de tua juventude, antes que venham os maus dias e que apareçam os anos dos quais dirás: Não sinto prazer neles; (Eclesiastes 12, 1)

O manual da Legião de Maria, uma organização da Igreja Católica, explicita muito bem essa passagem:

Além disso, muitas vezes, a juventude, cheia de vida, emprega o seu tempo livre em atividades e divertimentos pouco sadios e prejudiciais a ela mesma e aos outros. […] Isso leva a um materialismo prático. Depois de alguns anos, o coração desses jovens está seco e endurecido. Perdem muito cedo a juventude, com todos os seus sonhos. Isso quando as coisas não terminam de forma pior ainda.  […]

Como seria infinitamente mais prudente animar esses jovens a oferecer ao Senhor, na qualidade de legionários, a melhor parte do seu tempo livre! Isso os animaria pela vida inteira e conservaria no seu coração e no seu rosto a serenidade e a alegria da juventude.

Foi esse tempo oferecido ao Senhor, desde os primeiros anos de sua vida, que fez João conservar o coração jovem e sereno. Também Nossa Senhora, ao aceitar tão grande missão com apenas 15 anos, manteve-se jovem durante toda a sua passagem pela Terra, e ainda hoje, com o Pai do Céu. Foi o serviço dedicado ao reino de Deus que deu vigor ao corpo e alma de Santa Teresa de Calcutá, que com mais de oitenta anos de idade, dormia três horas por dia e dedicava as outras 21 ao serviço pesado de cuidar dos mais pobres dos pobres. Ou que levou a beata Chiara Luce a sorrir, mesmo em meio ao sofrimento da sua doença, sabendo que poderia morrer antes de realizar todos os sonhos que planejou no auge de seus 17 anos, entregando-se docilmente à vontade de Deus. “Senhor, se tu queres, eu quero!”

Digamos não a todas essas tentativas superficiais de recobrar o vigor da juventude. Nenhuma cirurgia plástica, nenhuma dieta miraculosa ou chá de ervas chega aos pés dessa fonte que jorra do lado de Cristo. Mas o que beber da água que eu lhe der jamais terá sede. Mas a água que eu lhe der virá a ser nele fonte de água, que jorrará até a vida eterna. (São João 4, 14)

Gabriela Letícia

Concurseira militar, ama ler, escrever e fotografar. Chegada de Nossa Senhora de Lourdes e apaixonada por Jesus.