Santa Carona

Refugiar-se em Deus

Oh! Que bem sábia era aquela alma santa que, a vista dos maiores tormentos dizia: “Meu coração está seguro e firme em Jesus Cristo!” (Santa Ágata).

Variadas são as artimanhas e tentações do mal para atrapalhar a evangelização, esta que é feita de diversos modos atualmente e estas tentações aparecem com perseguições até mesmo espirituais, em muitos casos a alma se sente aflita. Sabemos que a meta dessas perseguições é a renúncia de Cristo e à Santa Mãe Igreja, podendo estas acontecerem de forma nefasta ou sutil (por um tempo), tirando Cristo do centro aos poucos e colocando o homem no lugar. Muitas vezes em nossa caminhada nos deparamos com essas perseguições ou outros tipos de provações que nos faz sentir um pouco de cansaço ou até medo, e ao sentir isso nossa alma dá início a uma busca incessante por um refúgio em que ela possa se abrigar. E como problemas vão existir enquanto estivermos nesta terra, a nossa alma estará em busca de refúgio.

Bem, como deve ser feliz uma alma que encontrou seu refúgio em Deus. Entenda, encontrar um refúgio não quer dizer que ficará sem problemas, mas quando eles vierem , não ficará só, terá a certeza de que há um Deus que ouve, que acompanha, que ama e que também é justo. O refugiar-se em Deus nos faz sentirmos mais seguros e firmes como diz Santa Ágata, fazendo com que passemos pela provação sem fugir dela ou perecer no meio do caminho. Muitas das vezes a provação vem para testar nossa confiança em Deus e para fugirmos cada vez mais das ocasiões de pecado, nos fortalecendo. E podemos nos inspirar nas histórias dos santos, como de Santa Ágata ou Águeda por exemplo.

Santa Ágata, natural de Sicília, pertencia a uma família nobre e consagrou-se a Deus pelo voto de castidade. O governador Quintiano sabendo da beleza de Ágata e que ela era cristã (nessa época o governador havia começado uma perseguição contra cristãos), chamou-a a sua presença e começou a importuná-la com propostas indecorosas e Ágata prontamente as rejeitou dizendo que preferia morrer. Então Quintiano mandou entrega-la a um prostíbulo, mas nenhum homem teve coragem de se aproximar dela. Então o governador deu início ao martírio de Ágata. Vendo que a mesma não desistiria de Cristo, deu-lhe bofetadas no rosto causando forte epistaxe, foi mantida em cárcere e no outro dia foi esticada sobre a catasta, teve o corpo queimado e os seios arrancados. Depois foi levada novamente para o cárcere. Durante a noite ela teve uma visão de São Pedro que lhe pedia para que se mantivesse firme e quando ela percebeu, estava totalmente curada. Posteriormente em seu julgamento, o juiz assustado com o milagre e vendo que Ágata adorava ainda mais a Deus, mandou que a fizessem rolar sobre brasas  e cacos. Então houve um forte tremor de terra, e o povo assustado pediu para que parassem de tortura-la e encarceraram Ágata mais uma vez. Por fim ela entregou sua alma a Deus por volta do ano 252. Um ano após a sua morte, o vulcão Etna entrou em erupção, então o povo correu ao túmulo de Ágata, pegou seu véu e estendeu contra o fogo que descia, logo o perigo cessou.

Histórias como de Santa Ágata e de tantos outros que se mantiveram firmes por amor a Deus, nos inspiram e também nos faz questionar: Quanto estou me dedicando para servir a Deus, principalmente no meu dia a dia? Será que na primeira provação, pequena diante de tantas outras mais fortes como vimos, eu me abalo facilmente, desespero, saio correndo, resmungo e murmuro contra Deus? Será que sou cauteloso e preparo minha alma?  Com relação à cautela, é importante dar destaque, pois é umas das primeiras lições que devemos aprender: ter cautela. Como sabemos que provações e perseguições existem então devemos preparar nossa alma, para que saibamos agir de forma correta diante de tais situações. É importante por exemplo estar atento com nossas palavras, saber quando falar e quando silenciar, do mesmo modo que Jesus falou e também se calou em diversas situações. E para que saibamos fazer isso do melhor modo, temos de pedir a Deus a Sabedoria, para que possamos ter essa cautela e saber preparar bem nossa alma, é como diz no livro a Imitação de Cristo em resposta a citação de Santa Ágata, feita logo no início deste post:

“Se eu estivesse neste feliz estado não me perturbaria tão depressa o temor humano, nem me ofenderiam as palavras injuriosas.”

“Mas por que motivo eu miserável não me acautelei melhor? Por que razão me fiei dos homens?”

“Em quem acreditarei Senhor, senão em vós? Sois a verdade que não engana nem pode ser enganada”.

Lembremos que quem se preocupa e deixa que más palavras vindas da boca de homem cheguem até o coração, é porque ainda se preocupa demasiadamente  com o juízo dos homens . O juízo dos homens muitas vezes é falso, mas o de Deus é sempre verdadeiro. E às vezes e bom que soframos más palavras alguma vez ao menos, pois podem ser usadas pra nossa santificação, se soubermos aproveitar a oportunidade. E outra, se preocupas e sofres com as más palavras que ouves contra ti, como suportaria os duros golpes, como nossos santos suportaram?

Em uma transcrição feita pelo papa Bento XVI e publicada no L’Osservatore Romano diz que ser santo não significa ser superior aos outros, pelo contrário, o santo pode ser muito fraco e cometer muitos erros na sua vida. A santidade é o contato profundo com Deus, é fazer-se amigo de Deus, deixar que o Outro trabalhe, o Único que pode realmente fazer com que este mundo seja bom e feliz. De fato todos somos capazes, todos somos chamados a abrir-nos a essa amizade com Deus, a não nos soltarmos da sua mão, a não nos cansarmos de voltar uma vez e outra para o Senhor, falando com Ele como se fala com um amigo e sabendo, com toda a certeza, que o Senhor é o verdadeiro amigo de todos, também dos que não são capazes de fazer por si mesmo coisas grandes.

Santa Ágata, rogai por nós!

 

Salve Maria!

 

 

 

Pabline Gasparoti

Goiana, graduada em farmácia, catequista, gosto de uma boa leitura e sou apaixonada por Deus.