Santa Carona

Fascismo

Vamos tratar agora de uma ideologia originariamente italiana. O Fascismo que hoje é para muitos apenas um xingamento ou rótulo, eu diria que muitos que espalham que fulano é fascista nem sabem o que é essa ideologia.

O fascismo surgiu dos grupos de ação que eram chamados de Fasci, na Itália. Estes eram organizados por Benito Mussolini, que queria que a Itália entrasse na Primeira Guerra Mundial, em 1914. Passada a guerra, o objetivo agora era conseguir o poder e o “fasci” passa a se chamar “fasci di combattimento”.

Mussolini era do meio socialista, chegou a ser até dirigir um jornal socialista, entretanto o socialismo que ele buscava era mais influenciado por Nietzsche, George Sorel e Pareto. E enquanto comandava o Fasci queria mais ação do que uma doutrina. Fato assumido por ele mesmo, anos depois no livro La Dottrina del Fascismo.

O Fascismo tinha um caráter marcante nacionalista, visava a soberania da Itália e percebia em Roma uma cidade imponente. Buscava ainda a anexação da Dalmácia, das regiões alpinas, do Fiume e do litoral Adriático. Também a renovação das elites e a defesa da violência para implantar suas ideias.

O congresso italiano estava dominado pela corrupção, a crise econômica preocupava a todos e o comunismo era uma ameaça cada vez mais eminente, desta forma Mussolini não teve dificuldades para achar adeptos ao Partido Nacional Fascista, que foi se tornando maioria no congresso. Até que em outubro de 1922 aconteceu em Roma, uma caminhada com mais de 40 mil pessoas com camisas negras.

As organizações coorporativas já não eram grupos autônomos, mas eram dirigidos pelo Estado. Na Itália passou a dominar um Estado forte, com partido único. As aspirações da pátria ultrapassavam a figura individual.

“Tudo no Estado, nada fora do Estado, nada contra o Estado!” Mussolini

O Estado dominava a educação, a economia e principalmente a formação do pensamento dos jovens. Também a imprensa só veiculava o que o Estado queria. O Duce caminhava para o totalitarismo, mas era um totalitarismo um pouco diferente, respeitava algumas liberdades próprias do individuo.

Quanto ao catolicismo, Mussolini, buscava calar o Papa. Tomou o território do Vaticano, Pio XI colocou-se abertamente contra o regime fascista.

O regime do Duce foi estruturando o país, recuperou a economia, desenvolveu o saneamento aumentando a expectativa de vida e a saúde da população nas regiões pantanosas, desenvolvimento notável também na aviação e na construção de autoestradas. Esse crescimento fez com que pessoas notáveis como Winston Churchill demonstrasse admiração por Mussolini e pelo fascismo.

Até que o fascismo se uniu a Hitler, formando o eixo Roma-Berlim, isso fez do Duce um parceiro menos importante do Fubrer, chegando à Segunda Guerra Mundial.

Podemos dizer que o fascismo, por agir não deixou uma doutrina clara, não se tinha uma ideia bem desenvolvida do que era ideologicamente o fascismo, mas sim como regime, com um estilo próprio de agir. Podemos dizer também que o fascismo surge como luta contra a democracia, que na época era considerado um mal.

Encerro este breve comentário a cerca do Fascismo e convido você leitor para me acompanhar nessa sequência de textos.

Thiago Lima

Direto de Vila Boa. Interessado em tudo que o mundo moderno desconhece. Aceito um café. Cum gaudium et Pace!