Santa Carona

Contos Adversus

“Da sua garganta, ecoava o abominável som da morte e o execrável cheiro podre do pecado.”
A câmara nefasta

Quando o assunto é uma narrativa ficcional ligada à religião, poucos são os que conseguem fugir de um contexto piegas, ou com um moralismo tacanho que não abrange a complexidade da vida humana, perdendo-se em meio a um rigorismo ou pietismo, e na transcrição de sentenças da Escritura e do Catecismo na boca de seus personagens com um tom de senhor do conhecimento teológico. Não é tão comum aqueles que ao elaborar um universo para ancorar uma narrativa, e principalmente de histórias mais fantásticas, expressa possibilidades que poderiam de fato surgir devido às complexidades dos roteiros da vida e da experiência dos tempos. Logo, quem começa a esboçar esse universo com padrões extremamente positivos dentre os apontamentos acima, merece um pouco de atenção. É o caso dos Contos da Saga Adversus de Tércio dos Santos.

O escritor que colocou seus contos para degustação e venda na internet, elaborou um contexto no qual um grupo de religiosos têm o dever de proteger certas pessoas de ações malignas diretas. Em uma história, um padre será assassinado durante a missa; em outra, um professora que luta em meio à tormenta no mar ideológico nacional, também está para ser assolada por manifestações infernais; há ainda uma história sobre a música demoníaca e a narrativa sobre algumas criaturas vindas do inferno. Entre as vítimas e os algozes estão um grupo de monges, religiosos, que lutam, com astúcia ou com músculos, para manter ao menos um grupo dos filhos de Deus distantes das garras do mal.

A receita explorada em alguns quesitos segue o básico: a atividade maligna no mundo; a percepção dessa ação por um pequeno grupo; o combate ao mal por uma espécie de “sociedade secreta” dentro da Igreja; a tentativa de manter a ordem no mundo atrasando a dominação pelo Maligno e seu séquito. Nada de novo no front, mas em uma receita frequentemente explorada, o que garante seu atrativo diferencial são os pequenos detalhes.

O primeiro deles é o bom uso de uma narrativa que prende, dirige a intuição para um possível fim e consegue explorar bons plot twists. Vamos imaginando um exorcismo, um combate de proporções que pode vir a explorar um vasto cenário, ou até mesmo uma exposição milimetricamente detalhada de assuntos dentro da história, quem sabe até um passeio pelo inferno. Mas o caminhar da direção narrativa muda, e os pontos abordados ficam como detalhes que procuram engrandecer todo o universo proposto para as histórias.

Ainda encontramos nos contos de Tércio, para além do contexto ficcional e sobrenatural, todo o combate e suspense uma busca por instalar na narrativa pontos para a disseminação de informações, de elementos vivos da fé católica e de exploração da ação do bem em meio ao cotidiano de formas sutis. Uma breve exposição sobre a história, a noção da possibilidade do perdão e a tentativa de que todos possam buscá-lo, o esforço pelo próximo, tudo isso acaba por colocar um tempero novo naquelas que poderiam ser apenas mais do mesmo ao se tratar de histórias sobrenaturais (como tantas outras que estão disponíveis por aí). O compromisso de Tércio no que ele escreve é formar uma perspectiva cristã em meio às histórias, de oferecer no contexto dos eventos ficcionais, possibilidades de ver até onde atua a maldade no mundo, mas também até onde vai a bondade do homem amparada no Sumo Bem. E tudo isso sem  apelar para aquele tom piegas, sem querer fazer transposição de aulas de catequese para as histórias, mas apenas construindo um contexto no qual as personagens estão imbuídas daquilo que é importante em ser mostrado.

A estrutura das histórias são independentes. O leitor pode começar por qualquer conto e seguir a ordem que mais lhe chamar atenção. Para os leitores com mais percepção, fica claro que existe uma ordenação ao exibir aquele mundo. E também existe uma construção mais elaborada nos bastidores comuns das histórias, o que vem a sugerir que todo o cenário e também o contexto no qual estão inseridas poderá ser ainda mais trabalhado (logo no primeiro conto há um tom peculiar de que “alguma coisa há” além daquela história, o que sugere a existência de uma obra  maior sendo gerada; um romance ou séries de romances podem estar em formação).

O universo criado para dar sustentação à narrativa, com suspense, tensão e ação, somada ao contato com o sobrenatural muito chamará atenção daqueles que gostam da temática de fantasia e aventura – possivelmente chamará muita atenção dos mais jovens, o que não é impedimento para que outros também possam gostar e ficar com aquele sentimento de “quero mais!”. É uma oportunidade de entrar em contato com um conteúdo que trará uma diversão e meio ao contexto literário apreciado, unir com uma reflexão sobre questões de fé e ver o desenvolvimento do universo que escritor está por criar.

Os quatro contos, A última professora lúcida, Uma besta na missa dominical, O timbre do diabo e A câmara nefasta estão disponíveis para aquisição no site da Amazon por valores bem acessíveis (considerando que o segundo listado acima está para download gratuito). A iniciativa é excelente para os amantes da literatura que desejam explorar novas temáticas, estilos e ainda ter contato com uma intenção não muito comum em nosso cenário autoral que é de levar “doses homeopáticas” de formação em meio a narrativa ficcional sobrenatural.

Após os quatro contos, o que resta é esperar a formação dos demais membros dos Adversus e qual será a missão que os aguarda.

Boa leitura.

Tobias Goulao

Natural de Pirenópolis, professor, mestre em História, sobrevivente de duas universidades, amante daquelas coisas boas da vida: meus livros, meus filmes, cerveja artesanal e café.